Edifício Devisate

Anúncio do Edifício Devisate, em 1952

Anúncio do Edifício Devisate, em 1952

“Um grupo de capitalistas reuniu-se para construir este majestoso edifício”, dizia a anúncio acima. E, se foram capitalistas, não surpreende que tenham escolhido o “mais moderno e aristocrático bairro da capital”. (E, apesar de os capitalistas em questão serem supostamente bastante esclarecidos, o sujeito da frase — “Um grupo de capitalistas” — ficou separado do predicado por vírgula, algo inadmissível na regra culta.)

Mas o que mais chama a atenção no anúncio é o desenho do Túnel Nove de Julho. Porque, apesar do que o desenho indica, ele fica do outro lado do Edifício Devisate! A foto atual, tirada em 22 de janeiro de 2014, parece deixar isso claro. O túnel estava às minhas costas quando fotografei. A rua que sobe à esquerda é a Alameda Itu.

O prédio sofreu algumas mudanças nesses quase 62 anos, a começar pelas grades em volta, que provavelmente não existiam em 1952. Além disso, acredito que a garagem tenha sido reformada, pois quem olha de fora vê uma garagem similar às de prédios bem mais recentes. Ou seja, é bem possível que o tal “telhado de madeira” mostrado na planta já não esteja mais lá.

Edifício Devisate, em janeiro de 2014

Edifício Devisate, em janeiro de 2014

Alexandre Giesbrecht

Nascido em 1976, Alexandre Giesbrecht é publicitário. Pesquisa sobre a história do futebol desde os anos 1990 e sobre a história da cidade de São Paulo desde a década seguinte. Autor dos livros São Paulo Campeão Brasileiro 1977 e São Paulo Campeão da Libertadores 1992, já teve textos publicados em veículos como Placar e Trivela.

Você pode gostar também de...

3 respostas

  1. Carlos disse:

    Muito legal! Eu moro aí!

    Na verdade, a principal mudança é com relação ao Terraço. Ele era aberto e hoje todos os apartamentos o incorporaram nas salas. No meu caso, o Hall, o Living Room, a Sala de Jantar e o Terraço compõem um espaço completamente aberto.

    Com relação ao “Telhado de Madeira”, abaixo dele hoje está a segunda garagem do edifício (a original – ainda utilizada – está na foto à direita do prédio). E atualmente não é mais de madeira, e sim de fibrocimento com algumas telhas transparentes para iluminação natural.

    • Muito obrigado pelas informações, Carlos!

    • João disse:

      Olá Carlos! Após quase dois anos do seu comentário, gostaria de lhe perguntar – já que tenho interesse no prédio – como é a convivência diária com o barulho e poluição da 9 Julho? É algo que incomoda muito? Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *